Sou formado, mas não sei nada!

O texto abaixo retrata a realidade de boa parte das pessoas que se formam na área de tecnologia em geral. Foi escrito por Edgard Davidson em 2009, mas é impressionante como ainda hoje o que está descrito abaixo se faz presente. Se pudesse assinar um texto como se fosse meu, seria este. Vale muito a pena ler e refletir.

estudante_universitario

“Esse post é dedicado às pessoas que se formaram ou estão se formando em cursos de graduação na área da computação como: Ciência da Computação, Sistemas de Informação, Analise e Desenvolvimento de Sistemas e afins. Vale ressaltar que as opiniões apresentadas abaixo são exclusivamente minhas. Então leia, pense, reflita e forme suas próprias opiniões sobre o assunto.

Se você formou ou está para formar e tem a impressão que não sabe nada, não se sinta tão mal, você não é o único. Mas porque isso ocorre? Vou dar minha opinião. Como sou discente e docente me sinto capacitado para opinar sobre os dois pontos de vista.

Se você tem a impressão de não saber nada, a tendência natural é de logo tentar achar um culpado. Será que é culpa do curso? Será que é culpa da instituição de ensino? Será que é culpa dos professores? Será que é culpa do aluno? Ou será que a culpa é da tia da cantina?

Este tema chega até ser engraçado. Lembro-me claramente quando formei (que não faz muito tempo). Nessa ocasião eu fiz a seguinte pergunta pra mim mesmo:

  • Pergunta pra mim mesmo: “Blz, fiquei aqui nesse curso por quatro anos e o que de fato eu sei?”
  • Resposta para mim mesmo: “puts, pqp não sei porra nenhuma…”

É amigo… e o pior que esse não é um sentimento só meu. Meus amigos que formaram comigo também me confessaram o mesmo sentimento, amigos que formaram depois idem, colegas de trabalho idem, meus alunos idem.

O interessante é que não importa qual foi o curso nem qual foi a instituição de ensino que o cara estudou. Todos têm o mesmo sentimento.

Mas então? Por que isso acontece? Na realidade, na visão que tenho é que academia e mercado não andam alinhados. No mercado a vida não é tão bela quanto na academia e na academia não se vê o que o mercado necessita.

  • Então o curso é responsável. Na graduação você vê um monte de matéria que basicamente então inseridas em um monte de disciplinas isoladamente, que dificilmente irá passar uma visão integrada de tudo. Existe um monte de disciplinas retardadas no meio. Na minha graduação, por exemplo, quase metade das disciplinas poderiam ser jogadas fora. Existem cursos que as disciplinas não são bem sequenciadas, a ementa não é bem elaborada, as referências bibliográficas são ruins e por aí vai.
  • Então a instituição de ensino é responsável. Pelos profissionais que contrata. Pela política que adota. Pela estrutura deficitária.
  • Então os professores são responsáveis. Quem já não teve um professor morcegão? Quem já não teve um professor que não dominava o conteúdo? Quem já não teve um professor que não tinha didática para ensinar? Quem já não teve um professor que não cumpria o plano de ensino? Quem já não teve um professor mala sem alça?
  • Então o alunos são responsáveis. Quando mata aula. Quando copia trabalhos. Quando não é curioso para saber mais do que é visto em sala. Quando fica com o Notebook ligado no MSN no meio da aula. Quando em vez de fazer para aprender fica reclamando de tudo. Quando é displicente. Quando acha que nada é importante.
  • E a tia da cantina? Coitada, essa não tem culpa de nada…

Mas isso não quer dizer que tudo é uma enganação. Existem cursos, instituições, professores e alunos excelentes. Eu em especial tenho que agradecer o pouco que sei a grandes professores que tive pelo caminho. Principalmente aqueles que tinham a fama de carrascos, tiranos, que não davam mole para aluno, que quase todo mundo era reprovado. Esses são os caras que eu mais agradeço hoje, na época eu tinha vontade de matá-los, mas hoje se sei alguma coisa, devo muito a pressão que sofri desses professores e hoje agradeço por isso.

Também tem que parar para pensar sobre uma coisa. Tudo bem, se eu tenho a impressão que não sei nada, então o que eu deveria saber para me sentir mais confiante? Então lá vai: Java, C++, Flex, .net, PHP, Ruby on Rails, Delphi, HTML,CSS, JavaScript,ASP, Ajax, SQL, Oracle, MS-SQL Server, MySQL, CMMI, MPS-BR, RUP, XP, Scrum, PMI, Bpel, BPM, UML, POO, teste, Frameworks, Padrões de Projetos, Análise de Sistemas, Arquitetura de Sistemas, PO e por aí vai, com certeza esqueci um monte de coisa, como coisas que nem eu mesmo sei que eu deveria saber. É muita coisa. E o pior não é isso. O pior é quando você está dominando uma tecnologia, logo vem outra melhor para substituí-la e você já tem que aprender tudo de novo.

Se você tem a impressão de não saber nada não quer necessariamente que você não sabe nada. Isso quer dizer que você tem muito o que aprender, mas pelo menos sabe que tem que aprender. Isso é um indício que você não é um acomodado. E os acomodados irão queimar no mármore do inferno.

Não obstante, as pessoas têm o costume de achar que as coisas que elas sabem são fáceis, mas elas esquecem o quanto foi difícil aprender, ou seja, depois que você sabe, tudo se torna fácil!

Agora um ponto é verdade. Na graduação você aprenderá a programar, e, programar é uma coisa, desenvolver aplicações é outra totalmente diferente. Quando o sujeito sai da escola sabendo programar e descobre que no mercado ele terá que desenvolver aplicações, então volta novamente a impressão de não saber nada. Conclusão, quem irá sobreviver? Irá sobreviver apenas aqueles que têm uma boa base teórica e é curioso por natureza. Caso contrário, será sempre um medíocre com ou sem escola.”

Por Profissionais TI

// Comente!

comentários

Olá, eu sou a Gabi e eu criei o "Eu Faço Programas" em 2011, quando ainda trabalhava em desenvolvimento web. Atualmente meu trabalho é focado em estratégia digital e redes sociais. Quer saber mais? www.imgabi.com

14 Comentários

  • Responder maio 2, 2012

    Diego

    Muito bom seu blog, sempre leio mas é a primeira vez que comento!

    parabéns =)

    Agora sobre o texto, só espero não passar por essa mesma dúvida quando me formar daqui 3 anos! ( análises de sistemas )

    Mas por enquanto só sei que não sei nada…rsrsrs

    • Responder maio 3, 2012

      eufacoprogramas

      Obrigada, Diego 🙂

  • Responder maio 4, 2012

    Rodrigo

    Esse texto explica muita coisa =)
    Esse blog é ótimo, parabéns, continue com o bom conteúdo =D

  • Responder maio 7, 2012

    Alberto

    Meu coordenador do curso, disse para minha turma
    que não leva palestras na nossa area porque não temos
    capacidade de entender uma palestra da area.. Então leva agente para assistir palestras de Engenharia Ambiental!

  • Responder maio 7, 2012

    Soellyn

    Muito bom o texto e infelizmente é verdade.
    Porque será que isso acontece?

  • Responder maio 7, 2012

    Gustavo

    Fantástico, realmente vc resumiu o pensamento de todos, parabéns!!!

  • Responder maio 7, 2012

    Douglas

    Muito bom o texto isso não é só exclusividade dos profissionais de TI, em varias áreas este tipo de situação ocorre, a verdade que profissionais de TI tem que adotar a postura autodidata…a faculdade vai mostrar o caminho, cabe ao aluno caminhar e chegar ao fim.

  • Responder maio 7, 2012

    Vanessa

    Então nos conte o que aconteceu com vc. Como foi para conseguir emprego na sua área? Fez algum outro curso? A empresa tem te ensinado? Vc tem buscado conhecimentos por conta própria?

  • Responder maio 7, 2012

    Cezarq

    ótimo e verdadeiro post.
    Essa realmente é uma verdade a cada dia mais presentes na vida dos estudantes e formados da área.

  • Responder maio 8, 2012

    Anderson

    Muito bom exatamente isso que aconteceu comigo meus colegas, e acontece hoje. As faculdades so querem saber da mensalidade o resto é resto.
    Além disso tem outra coisa, depois que voce aprende e domina todos esses nomes complicados, entra no mercado pra ganhar miseros 1000 reais de salario, quando pede aumento eles vem com o papinho de que agora nao da, blablabla.
    Porra eu ralei muito pra aprender esses troços pra ganhar 1000 R$. Eu to muito puto com isso.

  • Responder maio 8, 2012

    renato lira

    Ótimo texto, realmente a tecnologia se renova tão rapidamente que já é difícil acompanhá-la como consumidor agora imagina como profissional que a utiliza para desenvolver seus projetos, é visível o abismo entre a qualificação do profissional graduando(ado) e a exigida pelo mercado, e é certo que para conseguir seu lugar o estudante deverá ter um ótimo QI ou um curriculo recheado de cursos e certificações.

  • Responder maio 9, 2012

    Edgard Davidson

    Quem quiser ver mais sobre o assunto, veja os slides da palestra que dei sobre o tema em http://edgarddavidson.com/palestra-formei-mas-nao-nada-cafeagilbh/

    Ou veja o post original http://edgarddavidson.com/formei-mas-nao-sei-nada/

  • Responder maio 18, 2012

    Robert

    Para que se formou como eu, achei o xjobs que parece ser uma opção. Abs!

  • Responder maio 21, 2012

    Washington Sena

    Primeiramente gostaria de parabenizar pelo excelente blog, muito objetivo, didático e engraçado na medida certa. Ótimo texto, muitos se iludem com falsa idéia de que basta uma graduação em ti para se dar bem no mercado de trabalho e esbarram nas dificuldades que aparecem, e esquecem que a faculdade dá um rascunho do caminho a ser seguido que deve ser definido com dedicação e esforço eterno.

// Siga as boas práticas: Comente!